Cotidiano com artrite – Qualidade do Sono

Como a qualidade do sono pode afetar a vida diária do paciente com artrite.
artrite e o sono

Embora muitas pessoas não prestem atenção à qualidade do sono, isso pode ter consequências para pacientes com artrite. O sono pode afetar a vida diária de pessoas com artrite, piorando os sintomas relacionados à doença.

Além disso, a qualidade do sono pode influenciar diretamente na memória e na falta de concentração para atividades simples.


Falta de sono adequado e a piora da dor

Como parte de uma vida diária com artrite, sabemos que muitos pacientes têm uma probabilidade maior de ter dificuldades para dormir. Rolar e se virar durante a noite ou acordar antes do sol nascer com a privação do sono, resulta direta ou indiretamente no agravamento da dor, que gera um efeito adverso na vida diária de uma pessoa com artrite.

A seguir, algumas recomendações que podem ajudá-lo a adormecer, lembrando que uma consulta com seu médico é indispensável!


O efeito do relaxamento antes de dormir

Tomar um banho tem um efeito calmante e ajuda a relaxar. No entanto, lembre-se de evitar o superaquecimento, apenas relaxe e refresque o seu corpo com um banho antes de se deitar para dormir.


Medicamentos podem afetar seu sono? 

Medicamentos para artrite podem resultar em insônia e / ou outros problemas de sono. Consulte o seu médico, sempre! Não apenas quando não conseguir dormir bem. As opções podem ser mudar completamente os medicamentos, ou mudar o horário de tomá-los de acordo com as recomendações de seu reumatologista.


Um colchão novo pode ser uma opção

Dormir bem também pode ser um fator atribuído a um colchão confortável, que não proporcione apenas o relaxamento, mas que também ajude na qualidade de seu sono. Pacientes com artrite precisam de um colchão resistente e que dê o suporte adequado ao corpo.


Escolha o tipo correto de travesseiro

Travesseiros também desempenham um papel fundamental na qualidade de seu sono. Pacientes com artrite que estão com dor no pescoço devem usar um travesseiro padrão que seja firme, mas não muito alto. Por outro lado, pacientes com artrite com dor no quadril ou joelho, devem considerar um travesseiro de cunha ou um travesseiro pequeno entre os joelhos.


Investigue quaisquer irregularidades do sono, como apneia

Estar acima do peso ou obeso aumenta o risco de osteoartrite e de uma condição do sono chamada apnéia do sono. A apneia faz com que os pacientes parem de respirar e acordem abruptamente várias vezes à noite.

Converse com seu médico sobre possíveis remédios se você começar a desenvolver sintomas da apneia. O médico pode realmente ajudá-lo a entender como você pode melhorar essa condição.


Não se esqueça dos exercícios físicos e alongamentos

Movimento é a chave para as articulações. Manter o corpo imóvel faz com que as articulações sejam mais rígidas e mais dolorosas. Manter a força e a amplitude de movimento nas articulações afetadas pela artrite é muito importante. É recomendável manter-se ativo e alongar-se, sem qualquer tipo de movimento abrupto ou feito com muita força.


Comece a ter uma rotina de sono saudável

Siga hábitos que promovem um bom sono, como:

  • ir para a cama no mesmo horário todas as noites;
  • estabelecer uma rotina noturna para preparar sua mente e corpo para dormir;
  • não usar telefones, TVs e outros aparelhos eletrônicos no quarto;
  • evitar grandes refeições e cafeína antes de dormir.

Acompanhe a sua artrite e quaisquer outras condições médicas

Quanto melhor estiver a sua saúde em geral, melhores serão as condições de seu corpo para o enfrentamento da artrite.

IMPORTANTE: Os pontos acima são apenas sugestões. Consulte o seu médico reumatologista se você estiver tendo problemas relacionados ao sono, à artrite, ou ambos.

Dra. Juliana Valim
Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto e residência em Clínica Médica na mesma instituição (2008-2009).Residência em Reumatologia pela Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. (2011-2012) Título de Especialista em Reumatologia pela Sociedade Brasileira de Reumatologia.Foi médica assistente da Reumatologia na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo por 6 anos (2013-2019) orientando médicos residentes e especializados em reumatologia.Membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia e atualmente integrante também da Comissão Cientifica de Vasculites (2018-2020).