Dra. Juliana Valim

Reumatologista


CRM-SP 131.094

A Drª Juliana Valim é médica reumatologista em São Paulo/SP.


Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto e residência em Clínica Médica na mesma instituição.


Residência em Reumatologia pela Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Título de Especialista em Reumatologia pela Sociedade Brasileira de Reumatologia. Médica Assistente Preceptora na Residência de Reumatologia na mesma instituição por 6 anos (2013-2019). Membro atual da Comissão de Vasculites da Sociedade Brasileira de Reumatologia.




Formação Acadêmica


borda

2002-2007: Graduação em medicina – Faculdade de Medicina de São Jose do Rio Preto – SP (autarquia estadual)
2008-2010: Residência em Clínica Médica no Hospital de Base (hospital universitário da Faculdade de Medicina de São Jose do Rio Preto – SP
2011-2013: Residência em Reumatologia na Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo – SP
2013-2019: Médica Assistente (preceptora) em Reumatologia na Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo – SP


Formação Complementar


borda

2012: Capacitação Prática Oficial em Densitometria. (Carga horária: 8h).
International Society fo Clinical Densitometry, ISCD, Estados Unidos.
2012: Habilitação em Densitometria Óssea. (Carga horária: 11h). International Society fo Clinical Densitometry, ISCD, Estados Unidos.
2012: IV Curso de Imunologia para reumatologistas. (Carga horária: 9h).
Sociedade Paulista de Reumatologia, SPR, Brasil.
2012: Infecções e tratamento. (Carga horária: 5h).
Sociedade Paulista de Reumatologia, SPR, Brasil.
2011: Prescrição de Atividade Física para o paciente reumático.
Sociedade Paulista de Reumatologia, SPR, Brasil.
2011: 3º Curso de Imunologia.
Sociedade Paulista de Reumatologia, SPR, Brasil.


Publicações em Revistas Científicas, livros:


borda

1. Valim,JML.; Chaer,FGG.; Guimarães, FO.; Lima, VPS.; Souza, BDB. Switching of biological therapies in Brazilian patients with rheumatoid arthritis. Future Science OA vol. 5, no. 1 published online:4 dec 2018 https://doi.org/10.4155/fsoa-2018-0025


2. Campanholo, C; Lucena JM. Manifestações musculoesqueléticas de doenças sistêmicas. In: Lima, CAC.; Rasslan, Z. Condutas em Clinica Médica. São Paulo: Ed. Atheneu, 2014


3. Lucena, JM.; Callegari, AG. ; Barbosa, FB. ; Sarinho, JCGC. ; Casagrande, R.; Souza, BDB. Vasculite Associada ao ANCA e Leucemia Linfocítica Crônica: uma rara associação. Rev Bras Reumatol. 2013; 54(1) :59–61.


4. Barbosa, FB.; Callegari, AG. ; Sarinho, JCGC.; Lucena, JM.; Casagrande,R.; Souza, BDB. Hemocromatose Simulando Artrite Reumatóide: Relato de Caso. Rev Bras Reumatol. 2014, vol.54, n.1, pp.62-64


5. Godoy, MF.; Lucena, JM.; Miquelin, AR.; Paiva, FF.; Oliveira, DLQ.; Junior, JLA. ; Neto, FC. Mortalidade por Doenças Cardiovasculares e Níveis Socioeconômicos na População de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo, Brasil. Arq. Bras. Cardiol. 2007; vol. 88, n.2, pp. 200-206.


Apresentação de Trabalhos em Congressos, exposições e feiras:


borda

1. Bibikoff, S. ; Lucena, JM. ; Chaer ; Souza, BDB. Avaliação dos surtos de atividade da doença numa população de Lúpus Eritematoso Sistêmico. In: XXXIII Congressso Brasileiro de Reumatologia, 2016, Brasília. Revista Brasileira de Reumatologia, 2016. v. 56. p. s70-s70.


2. Lima, VPSE; Guimaraes, FD.; Lucena, JM.; Chaer FGG.; Borba, EP. ; Souza, BDB. Comparação da terapia de indução da nefrite lúpica com ciclofosfamida em dose alta versus dose baixa. In: XXXIII Congresso Brasileiro de Reumatologia, 2016, Brasilia. Revista Brasileira de Reumatologia, 2016. v. 56. p. s72-s72.


3. Valim, JML.; Lima, VPSE. ; Chaer, FGG. ; Souza, BDB. Comparison of Lupus Nephritis induction therapy with cyclophosphamide high dose versus low dose. In: ACR/ARHP Annual Meeting 2016, 2016, Washington. Arthritis and Rheumatism, 2016. v. 68.


4. Souza, BDB.; Valim, JML. ; Chaer, FGG.; Guimaraes, F. ; Lima, VPSE. Switching biologic therapy in population of Rheumatóid Arthritis patients. In: ACR/ARHP Annual Meeting, 2016, Washington. Arthritis and Rheumatism, 2016. v. 68.


5. Guimaraes, FD.; LIMA, VPSE. ; Lucena, JM.; Chaer, FGG. Souza, BDB. Troca de terapia imunobiológica em uma população de Artrite Reumatóide. In: XXXIII Congresso Brasileiro de Reumatologia, 2016, Brasilia. Revista Brasileira de Reumatologia, 2016. v. 56. p. s19-s20.


6. Lucena, JM. ; Souza, BDB. ; Chaer, FGG. Novas síndromes autoimunes associadas ao uso de cocaína. In: XXXII Congresso Brasileiro de Reumatologia, 2015, Curitiba. Livro Programa Oficial do XXXII Congresso Brasileiro de Reumatologia, 2015.


7. Chaer, FGG.; Lucena, JM.; Reis, RC. ; Souza, BDB. ; Yakibu, RY.; Gozzano, JRC. Tuberculose e anti-TNF num país com alta carga de tuberculose: 5,5% casos em um ano. In: XXXII Congresso Brasileiro de Reumatologia, 2015, Curitiba – PR. Livro Programa Oficial do XXXII Congresso Brasileiro de Reumatologia, 2015.


8. Lucena, JM ; Barbosa, FB.; Chaer, FGG.; REIS, RC ; MELO, M. ; Souza, BDB. Avaliação da resposta ao uso de anti-TNF por meio do DAS-28 em 70 doentes com artrite reumatóide: 48,6% de respondentes e 8,6% de remissão. In: XXIX Congresso Brasileiro de Reumatologia, 2012, Vitória – ES. Revista Brasileira de Reumatologia, 2012. v. 52. p. 33.


9. Lucena, JM; Barbosa, FB.; Chaer, FGG.; Callegari, AG. ; MELO, M. ; Souza, BDB. Avaliação da síndrome metabólica em 97 pacientes com artrite reumatóide. In: XXIX Congresso Brasileiro de Reumatologia, 2012, Vitória – ES. Revista Brasileira de Reumatologia, 2012. v. 52. p. 33.


10. Chaer, FGG; Lucena, JM.; REIS, RC.; Barbosa, FBB.; Melo, M.; Callegari, AG.; Souza BDB. Evolution of Metabolic Syndrome in 97 patiets with Rheumatoid Arthritis. In: Annual Meeting of the American College of Rheumatology, 2012, Washington. Arthrites and Rheumatism, 2012. v. 64. p. 541.

Como é a formação do médico reumatologista?

borda
médico reumatologista

Para se especializar em reumatologia, o profissional da saúde precisa possuir um diploma em uma faculdade de medicina. É preciso ter cursado os períodos dos ciclos: básico, profissional (momento no qual a especialidade é definida) e internato.


O ciclo básico se trata das disciplinas de farmacologia, anatomia e fisiologia. Já no ciclo profissional, o médico em formação pode escolher entre diversas áreas como oncologia, oftalmologia, ginecologia, pediatria, reumatologia e tantas outras. O internato é o ciclo final da formação e dura, no mínimo, um ano em hospital, trabalhando em período integral.


Então, o médico passa pela residência médica em clínica médica. Durante dois anos o médico trabalha junto a uma equipe médica experiente até estar apto a trabalhar como clínico geral.


Depois, para finalmente se tornar um médico reumatologista, o profissional precisa cursar a residência em reumatologia, que dura de dois a três anos.


O caminho não é curto, assim como em outras especialidades da medicina, mas o resultado final é recompensador pois o profissional estará trabalhando com a sua área de interesse e maior aptidão.

Atuação

borda

O médico reumatologista atua tanto no setor privado quanto no público. E os ambientes nos quais pode exercer a profissão são: consultórios particulares, hospitais, clínicas, academias e centros esportivos, podendo também prestar atendimento domiciliar.


De forma geral, o mercado de trabalho do médico reumatologista é bastante amplo. E além de trabalhar com atendimentos a pacientes que precisem de ajuda, o profissional deve estar sempre indo atrás de capacitação.


Por isso, a participação em congressos, palestras, workshops e eventos em geral é muito importante também. Dessa forma, o médico se mantém atualizado e pode levar novidades aos tratamentos de seus pacientes.

Dra. Juliana Valim

borda

Consultas médicas:


Avaliação inicial e acompanhamento no tratamento de doenças reumatológicas.


Infiltração Articular:


Infiltração de pequenas e grandes articulações com corticoesteroides, anestésicos e/ou viscossuplementos.