Tendinite e Bursite

borda

O que é a Tendinite

A tendinite se trata de uma inflamação de um tendão (que é como uma corda fibrosa que fixa os músculos aos ossos e atuam para transmitir a força de contração muscular para mover o osso).


Já a bursite é uma inflamação ou irritação de uma “bursa”. A bursa é uma pequena bolsa localizada entre o osso e outras estruturas móveis, como músculos, pele ou tendões e permite e facilita um melhor deslizamento entre as estruturas.


A bursite e a tendinite podem ocorrer isoladamente ou ao mesmo tempo numa mesma região e sua causa nem sempre é identificada.




Causas

borda

Em geral, a tendinite ocorre na idade adulta, após os 40 anos de idade, e é mais frequente nas mulheres do que nos homens.


Com o passar dos anos os tendões sofrem microtraumas e pequenas rupturas repetidas e assim tornam-se mais fracos e mais suscetíveis a lesões e inflamações.


O tendão danificado pode se romper por completo de forma gradual ou aguda, e assim comprometer a funcionalidade da articulação envolvida.


A tendinite também pode ocorrer devido a traumas agudos, principalmente entre os atletas ou pessoas que tenham uma profissão com tarefas que necessitem de movimentos repetitivos.


Algumas medicações, como os antibióticos da classe fluoroquinolonas, e algumas doenças articulares, como artrite reumatoide, esclerose sistêmica, lúpus, gota e artrite reativa, podem aumentar o risco de enfraquecimento e ruptura do tendão. Doenças metabólicas como hipotiroidismo e diabetes também podem aumentar o risco de tendinites.


Alguns tendões são mais susceptíveis a inflamação, como os tendões dos ombros, dos dedos das mãos, do bíceps, dos calcanhares, do quadril, dos joelhos e dos tornozelos.


Os tendões dos ombros, são também conhecidos como manguito rotador. A tendinite dos ombros, ou síndrome do manguito rotador, é a principal causa de dor nos ombros.


A tendinite dos polegares das mãos também é muito frequente e é conhecida como tendinite de Quervain. Os tendões que auxiliam no fechamento dos dedos, ou tendões flexores, também são bastante acometidos e podem resultar no dedo em gatilho.


Geralmente, os tendões inflamados ficam doloridos ao serem movimentados ou pressionados.


O movimento das articulações próximas ao tendão, mesmo que reduzido, pode causar dor, dependendo da gravidade da tendinite. Ocasionalmente, os tendões ou suas bainhas incham e ficam quentes.


O que é a Bursite

borda

A bursite geralmente causa dor e tende a limitar o movimento, porém, os sintomas específicos dependem da localização da bursa inflamada. O ombro é um dos locais mais suscetíveis à bursite, mas as bursas dos cotovelos, quadris (bursite trocantérica), pelve, joelhos, dedos dos pés e calcanhares também são afetadas frequentemente.


As bursites podem ser agudas ou crônicas. Na forma aguda, os sintomas podem surgir em horas ou dias.


Geralmente, há dor quando a área inflamada é movimentada ou tocada e a pele sobre as bursas superficiais, como aquelas próximas dos joelhos e dos cotovelos, pode ficar avermelhada e inchada.


A bursite crônica pode ser resultado de crises repetidas ou persistentes de bursite aguda ou de lesões repetidas.


Nesses casos, a bursa pode ficar espessa e se a bursa lesionada for submetida a esforço anormal, a inflamação tende a piorar.


As exacerbações de bursite crônica podem durar vários meses e retornar frequentemente.


O diagnóstico da tendinite e da bursite exige a avaliação de um médico e às vezes, exames de imagem, ultrassonografia ou ressonância magnética.


No caso das bursites também pode ser necessário o exame do líquido da bursa, cuja amostra pode ser retirada com uma agulha por um médico e testada para verificar outras possíveis causas da inflamação, como infecção ou gota.


Tratamento

borda

O tratamento, tanto da bursite quanto da tendinite pode incluir repouso, imobilização, aplicação de compressas quentes ou frias, uso de antiinflamatórios e analgésicos.


Algumas vezes, corticosteroides e anestésicos são injetados na bainha do tendão ou na bursa para alívio dos sintomas.


Depois que a inflamação for controlada, fisioterapia e exercícios para aumentar a amplitude de movimento devem ser realizados para reabilitação.


Em alguns casos de tendinite e bursite crônica e persistente pode ser necessário tratamento cirúrgico para remoção dos tecidos inflamados, de possíveis depósitos de cálcio, reparar o tendão ou liberar cicatrizes que limitam a função.


Mas a fisioterapia sempre será necessária após a cirurgia.


Quando se trata de uma bursite infecciosa, a bursa infectada precisa ser drenada cirurgicamente e um antibiótico deve ser utilizado no tratamento.


Consulte um reumatologista para mais informações sobre o tratamento.